Voltar

Quando futebol e frevo se encontram…

Atletas do Sub-12 e Sub-13 do Sport visitaram o Paço do Frevo na terça-feira (14) e aprenderam um pouco mais sobre o ritmo que é Patrimônio Imaterial da Humanidade

Foto: Anderson Freire/Sport Club do Recife

Os atletas do Sub-12 e Sub-13 do Sport tiveram uma tarde especial na terça-feira (14). A garotada do Leão visitou o Paço do Frevo, no Recife Antigo, espaço que é dedicado à difusão, pesquisa, lazer e formação nas áreas da dança e música do frevo. O ritmo existe desde o século XIX e os jogadores do Rubro-negro da Praça da Bandeira puderam conhecer melhor um dos símbolos mais importantes da cultura pernambucana e brasileira – declarado como Patrimônio Imaterial da Humanidade, pela UNESCO, em 2012. Na ocasião, 25 garotos participaram da visita.

Os passeios com as categorias de base é uma marca registrada do Clube. A assistente social Patrícia Durão comanda esse tipo de atividade desde 2012 com o intuito de levar conhecimento, educação e lazer para os atletas leoninos. Um trabalho extracampo que faz a diferença na formação dos pratas da casa e é realizado com todas as categorias do Sport.

“É muito importante em vários aspectos. Um deles é o fato de os meninos conhecerem a cidade onde estão, pois muitos são oriundos de outros estados e não sabem a história daqui. O outro ponto é estimular raciocínio e a busca por conhecimento. Um interesse não só pela bola. Existe muita coisa fora do campo para ser aprendida. No contexto existe família, amigos que se fazem, lidar com regras fora de casa desde muito cedo… Fazemos essa atividade até o Sub-20 e vamos fazer também com o Sub-23, que é uma categoria nova no clube”, comentou Patrícia, que é funcionária do Sport há sete anos.

Garotada do Leão aprendeu muito com a visita. (Foto: Anderson Freire/Sport Club do Recife)

A relação entre o frevo e o futebol em Pernambuco não poderia ser melhor. O ritmo embala o tradicional “caza caza”, grito de guerra que é uma marca do Leão e da sua torcida. Uma união que aproximou ainda mais os meninos à dança, que tem a sombrinha colorida como principal elemento. “O passeio está sendo muito bom para dar uma alegria a mais e dançar também. E quem não sabe dançar aprende (risos). É a primeira vez que venho aqui e estou gostando muito”, disse o zagueiro Arthur, do Sub-12, que tem 11 anos.

“O frevo é um patrimônio imaterial e para mantermos ele é preciso conhecer a sua história. Fazer ele acontecer. A ideia que a gente tem, trazendo a criançada, é mostrar que o frevo pertence a eles. Que não é só do carnaval, do Recife. É de todo mundo e eles podem cuidar do frevo da forma deles. Até o hino dos três times do Recife (Sport, Náutico e Santa Cruz) são frevos. Essa ligação sempre existiu. Quem começou com o frevo foram os trabalhadores de rua e eles sempre fizeram parte, de alguma forma, dos clubes de futebol”, explica Rudah Lopes, mediador do Paço do Frevo.

Os passeios culturais e educacionais são vistos com muito cuidado pelo Sport Club do Recife, sempre priorizando o aprendizado e a socialização dos jogadores, que, assim como o frevo, querem brilhar para o mundo. Não com a sombrinha na mão. Mas com a bola no pé!

PAÇO DO FREVO

O Paço do Frevo funciona das terças às sextas-feiras, das 9h às 17h, e sábados e domingos das 14h às 18h. A entrada custa R$ 8,00 e R$ 4,00 (meia). Às terças o acesso ao espaço é gratuito. Mais informações são encontradas no site www.pacodofrevo.org.br.

CONFIRA ALGUMAS IMAGENS DO PASSEIO

publicidade
FrevofutebolSportSub-12Sub-13
Compartilhar Tweetar