Voltar

Aniversariante: Ilha do Retiro comemora 81 anos de inauguração

Em 4 de julho de 1937, acontecia o primeiro jogo do Sport em sua casa: Sport 6x5 Santa Cruz

(Foto: Williams Aguiar/Sport Club do Recife)

Casa de todos os rubro-negros, a Ilha do Retiro completa 81 anos de fundação neste 4 de julho. Um templo em concreto, com alicerces impregnados de “Cazá, Cazá”. E a turma da fuzarca, que atualmente representa uma legião de quase 2 milhões de torcedores, viu nesse palco títulos nacionais, estaduais e regionais. Além do estádio, a Ilha abriga um um complexo para os esportes olímpicos e amadores, qualificando-se como a maior estrutura de um Clube do Norte e Nordeste.

E durante toda essa caminhada, alguns momentos são inesquecíveis. Mostramos abaixo alguns desta gloriosa trajetória. Confira:

JOGO DE ESTREIA
Em 4 de julho de 1937, o esquadrão rubro-negro pisava pela primeira vez na Ilha do Retiro, dois anos depois da aquisição do terreno. E o palco da inauguração teve como protagonista um Clássico das Multidões. Sport e Santa Cruz jogaram um amistoso e os leoninos venceram por 6×5, em uma partida com 11 gols, sendo o primeiro deles marcado pelo rubro-negro Arthur Danzi. Uma vitória para começar com o pé direito no seu próprio estádio, antes mesmo de ter o nome que tem atualmente.

O primeiro jogo oficial foi na semana seguinte, no dia 11 de julho. Pelo Campeonato Pernambucano, o Leão empatou com o Tramways por 2×2.

BATISMO
Ainda levando apenas “Ilha do Retiro” como nome, o estádio rubro-negro iria homenagear um grande rubro-negro. Durante a segunda reforma que o campo recebeu, durante o ano de 1953, e visando o cinquetenário do Clube, Adelmar da Costa Carvalho foi um dos que mais ajudaram financeiramente a reforma e, por isso, o estádio passou a levar seu nome. Na ocasião, foram contruídos um poço artesiano, campo de treinamento, bilheteria, ampliação de arquibancada e nova instalação de iluminação.

MAIOR PÚBLICO
O dia em que a Ilha do Retiro mais ferveu foi na final do Campeonato Pernambucano de 1998, que contemplou o maior público da história do Clube. O adversário era o Porto e o Leão venceu o jogo por 2×0, sagrando-se tricampeão estadual, com os gols marcados por Irani. Ao todo, 56.875 leoninos fizeram a festa. No mesmo ano, o Leão recebeu o Corinthians sob os olhares de 53.033 torcedores, sendo o segundo maior público.

RECEBENDO A COPA
A primeira Copa do Mundo no Brasil, em 1950, guarda muitas lembranças para o povo brasileiro até os dias de hoje. Para os rubro-negros, o Mundial traz também uma recordação histórica. No dia 2 de julho, a Ilha do Retiro recebeu o único jogo daquela Copa realizado fora do eixo Sul/Sudeste. O jogo Chile 5×2 Estados Unidos contou com a presença do então presidente da FIFA, Jules Rimet, nas tribunas de honra.

O jogo foi trazido para a Ilha graças a um esforço do Sport, em parceria com Prefeitura do Recife, Governo do Estado e Federação Pernambucana de Desportos, que organizaram com perfeição o duelo entre Flamengo e Fluminense na casa do Leão, em 1947. O clássico carioca em solo pernambucano deu ainda mais respaldo para que a Ilha do Retiro fosse palco de uma partida da Copa do Mundo.

CANARINHO NA ILHA
A Seleção Brasileira já jogou na Ilha por duas vezes! As partidas aconteceram contra a Seleção Pernambucana nos anos de 1956 e 1969, ambas em caráter amistoso. No dia 1º de abril de 1956, ocorreu o primeiro embate, quando o Brasil venceu Pernambuco por 2×0, com casa cheia no Adelmar da Costa Carvalho. Na época, a arquibancada frontal da Ilha ainda estava em construção. A renda da partida foi de Cr$ 601.970, mas o público oficial não foi divulgado – até então só os números da bilheteria eram revelados.

O segundo confronto foi em 13 de julho de 1969, com a Canarinho goleando os pernambucanos por 6×1. A partida contou com o rei Pelé em campo, perto de chegar ao milésimo gol da carreira. O astro foi cercado pela imprensa na ocasião. Além disso, sete paraquedistas da brigada aérea fizeram um pouso no gramado durante o intervalo. O público foi de 26.929 pagantes, com uma renda de Cr$ 282.114.

ESTRUTURA
Com o estádio de capacidade para 29.300 pessoas, a Ilha do Retiro não se resume apenas a seu estádio. Atualmente, o Clube abriga um complexo aquático com piscina de medidas olímpicas para os atletas leoninos. Ginásio de futsal e basquete, quadras de vôlei, tênis e hóquei e salas de taekwondo, judô, futebol e tênis de mesa. Além disso, são três campos auxiliares que atendem os jogadores de futebol de base e futebol feminino, que também são atendidos pelos alojamentos.

No complexo futebolístico, o Clube possui vestiários com aparelhos de academia, fisioterapia e médico. Uma sala de imprensa para dar suporte à mídia local e conceder entrevistas coletivas, além de salas de apoio para a assessoria de imprensa.

ILHA COMO A “PRIMEIRA CASA”
Atualmente, a Ilha do Retiro tem cerca de 80 atletas hospedados. São dois alojamentos direcionados para os garotos da base e as meninas do futebol feminino profissional. Com alimentação montada pela nutricionista, os atletas fazem suas refeições dentro do próprio Clube e usufruem de toda a infraestrutura oferecida. Essa estrutura de ponta é um diferencial no momento de revelar jogadores e montar equipes fortes. Reativado este ano, o futebol feminino ganhou muitas atletas com as condições oferecidas.

“Aqui é a nossa casa. Trocamos ideias, conversamos, ficamos mais próxima enquanto equipe. A estrutura que o Sport oferece é fora de série e todas as meninas que vão chegando durante o ano ficam impressionadas. A Ilha do Retiro é um grande ponto de união”, disse a atacante Juliana, que está há seis meses no Clube.

É CAMPEÃO!
Os dois maiores títulos da vitoriosa e centenária história do Sport Club do Recife foram conquistados justamente na temida Ilha do Retiro. A primeira decisão foi pelo Campeonato Brasileiro de 1987, que por conta do imbróglio jurídico só aconteceu no início do ano seguinte. Sport e Guarani disputaram a taça. Após o empate em 1×1, em Campinas, o estádio Adelmar da Costa Carvalho recebeu a finalíssima, no dia 7 de fevereiro.

Com gol do zagueiro Marco Antônio, o Leão venceu por 1×0 e proporcionou uma festa inesquecível à torcida, que não pensou duas vezes em invadir, em peso, o gramado. Outro dia que não sai da memória dos torcedores foi o 11 de junho de 2008. Data da finalíssima entre Sport x Corinthians, pela Copa do Brasil, quando o Maior do Nordeste conquistou o Brasil pela segunda vez.

Apelidada carinhosamente de “La Bombonilha”, a Ilha foi fundamental na conquista do título, já que em casa o time rubro-negro venceu todos os seus adversários por dois ou mais gols de diferença. Era justamente o que o Sport precisava para ser campeão. Com gols de Carlinhos Bala e Luciano Henrique, o Leão fez 2×0 nos paulistas se tornou o primeiro e único do Nordeste a levantar a segunda taça mais importante do país.

OBRAS NA ILHA DO RETIRO

A Ilha do Retiro vem tendo melhorias em sua estrutura para acomodar cada vez melhor seus torcedores. Este ano, as obras de acessibilidade estão sendo ampliadas pelo Departamento de Engenharia do Clube. Além disso, o gramado também está recebendo uma atenção especial no período sem jogos. Saiba mais um pouco sobre as reformas que estão acontecendo:

Acessibilidade –  A segunda etapa das intervenções que adaptam o espaço para cadeirantes e deficientes visuais estão sendo realizadas durante a parada da Copa do Mundo, nas áreas internas de circulação, como as bilheterias sociais, bilheterias do muro, acessos ao estádio e outros. A primeira etapa, já concluída, implantou o piso tátil da portaria principal até a sede. Leia mais acessando este link.

Gramado – Enquanto o Campeonato Brasileiro está parado, o Sport revitaliza uma parte importante da sua estrutura: o gramado da Ilha do Retiro. A recuperação comandada pela Green Leaf teve início no último dia 18 e está substituindo quase 3.000m² de grama que estavam danificados. Leia mais acessando este link.

publicidade
81 anosaniversárioEstádio Adelmar da Costa CarvalhoIlha do RetiroInauguração
Compartilhar Tweetar