Voltar

Hóquei: Bruno Matos em ritmo de despedida das quadras

Com mais de três décadas dedicadas ao Sport e à modalidade, atleta decidiu "pendurar os patins" no fim do ano

Principal nome do hóquei pernambucano, Bruno Matos vai se aposentar ao fim da temporada 2018. (Foto: Williams Aguiar/Sport Club do Recife).

Há 32 anos que patins e sticks são companheiros inseparáveis de Bruno Matos. Durante um bom tempo, atuou como jogador de hóquei profissional na Europa. Nos últimos seis anos, além de exercer o papel de atleta em quadra, assumiu também a função de técnico do time de hóquei do Sport. Multicampeão, aos 36 anos, um dos grandes nomes do hóquei leonino e pernambucano escolheu 2018 para encerrar sua carreira de jogador.

Amadureceu a ideia por um tempo. Motivado por alguns desgastes físicos e por acreditar que é hora de dar espaço para a renovação da modalidade, Bruno decidiu que calçará os patins como jogador pela última vez nesta temporada. Projeta encerrar o ano com título e dar continuidade ao trabalho como treinador no Clube.

“Desde o ano passado eu vinha pensando em parar de jogar. Um joelho operado, um ombro operado… isso vai minando o rendimento e as dores ficam mais intensas. Também está na hora da renovação, de dar oportunidades para os mais novos, para o hóquei continuar caminhando. Por essas situações, defini que seja esse ano. Se tudo caminhar normalmente, em dezembro espero pendurar os patins com título”, disse.

Bruno foi campeão brasileiro infantil, juvenil e adulto, Sul-Americano e inúmeras vezes Pernambucano (Foto: Williams Aguiar / Sport Club do Recife)

O hóquei sempre foi de casa para Bruno Matos. O irmão mais velho dele começou a praticar o esporte a convite de Walter Araújo, treinador da equipe de hóquei do Leão nas décadas de 1980 e 1990, e colega de trabalho do pai dos garotos. Meses depois, quando ainda tinha cerca de cinco anos, Bruno foi ver um treino do irmão e ficou curioso. Na semana seguinte já estava com os patins. “Pronto. Não larguei mais”, disse. Seu primeiro treinador no Clube foi Epitácio Belém, o Pita, então responsável pelas categorias de base.

Aprendeu a patinar, a jogar e fazer bonito. Passou pela equipe juvenil, defendeu as cores de outra equipe e, em 2001, fez sua estreia pela equipe adulta. “Minha iniciação toda foi no Sport. Em 2000 fui para a equipe Amigos do Minho, que não existe mais, e joguei lá por uma temporada – no juvenil e no adulto. Depois voltei para o Sport”, disse.

Bruno comemorando gol no Pan-Americano de hóquei, em 2017 (Foto: Williams Aguiar/Sport Club do Recife)

Em 2002, o hóquei ficou ainda mais sério para Bruno e ele foi jogar profissionalmente na Europa. “Fiquei entre 2002 e 2010 jogando em Portugal, onde tem uma das principais ligas do mundo. Atuei por três equipes diferentes nesse período”, lembrou. Bruno jogou no Candelária Esporte Clube e no Clube Desportivo Santa Clara, nos Açores, e também no Óquei Clube de Barcelos, em Barcelos.

Da Ilha do Retiro para Portugal e de Portugal para a Ilha do Retiro. Depois destes anos na Europa, Bruno voltou para o Sport onde está até hoje e onde desde 2012 exerce a dupla jornada de jogador e técnico. “Aqui fui campeão brasileiro infantil, juvenil e adulto, conquistei um Sul-Americano, em 2012, na Argentina e vários Pernambucanos”, contou o dono de um currículo repleto de títulos e que esteve nas campanhas do tricampeonato brasileiro do hóquei leonino – 2010, 2013 e 2014.

Dos primeiros aos últimos passos no Sport

Apenas uma lesão ou algum imprevisto pode mudar os planos de Bruno Matos para 2018. “Só se acontecer algo sério, se eu me machucar, não puder jogar o Brasileiro, por exemplo, ou qualquer outra competição, é que posso adiar essa aposentadoria. Não vou parar dessa forma (por causa de lesão). Porém, dando tudo certo, em dezembro encerro”, contou. A carreira de jogador chegará ao fim, mas a de treinador continuará. A jornada que é dupla desde 2012, passará a ser totalmente dedicada ao papel de treinador. Focado nessa renovação destacada pelo próprio Bruno e sempre em busca de títulos. Assunto que ele domina bem.

bruno matoshóqueiSporttécnico
Compartilhar Tweetar